News - Praça do Hipódromo volta a receber as aulas do Projeto Frevo na Praça. / Camisas com a marca do grupo estão à venda por R$30 reais. / Site dos Guerreiros ultrapassa 285 mil visitas. / VOCÊ GOSTOU DO SITE? JÁ PARTICIPOU DE ALGUMA ATIVIDADE NOSSA? TEM ALGUMA SUGESTÃO? COMENTE, MANDE SUA MENSAGEM POR E-MAIL OU PELAS REDES SOCIAIS. DÊ SUA OPINIÃO E NOS AJUDE A APRIMORAR NOSSAS AÇÕES COM O FREVO. CERTAMENTE ISSO NOS AJUDARÁ BASTANTE A ENRIQUECER TODO O TRABALHO. OBRIGADO!

Lei do Frevo foi aprovada

PROJETO OBRIGA A EXECUÇÃO DOS FREVOS NAS RÁDIOS DA CIDADE
A lei do Frevo vai entrar em vigor. O evento para oficializar o ato foi realizado nesta terça-feira (09/04) pelo prefeito do Recife, Geraldo Julio.
Eu seria um dos maiores entusiastas desse acontecimento, caso não ocorresse dessa forma. Mas, não consigo sequer ter um sopro de alegria. Por que será? Mais uma Lei como tantas outras vai suplantar um descaso tradicional cometido pelos dirigentes municipais contra o nosso ritmo principal?
Querem fazer como acontece com as cotas da Universidade? Não há educação de qualidade para todos, ai, cria-se uma lei para facilitar a entrada dos estudantes carentes nos cursos. Não existem políticas públicas adequadas para o frevo, ai força-se sua execução através de normas e leis?

A trajetória dos fazedores do frevo é demasiadamente penosa e cansativa. Passa-se por muitas dificuldades, e mesmo assim, não se tem sequer a esperança de melhoria do pensamento daqueles que sugam sua energia e propagam suas imagens como se fosse os reflexos de uma nação multicultural, onde tudo e todos são valorizados, num paraíso cultural surreal e extraordinário. O esforço por tanta dedicação a uma arte poderia ao menos ser recompensada com um mínimo de seriedade. O povo realmente tem memória curta!

Eduardo Araújo

Um comentário:

  1. Querido Eduardo, Eu não sei exatamente o teor da lei, mas me parece que estabelecer um percentual de tempo para que os ritmos de frevo sejam tocados/ouvidos nas rádios vá ajudar na propagação e valorização do frevo música e indiretamente a dança. Pois não podemos gostar de algo que não estamos familiarizados e passamos a gostar daquilo que convivemos. Eu pessoalmente não ouço rádio, mas sei que muita gente ouve, e as novas gerações estão muito expostas a ritmos internacionais... Maria Goretti Rocha

    ResponderExcluir