News - Diretoria do grupo cancela o reinício das aulas no restante do primeiro semestre de 2017. / Camisas com a marca do grupo estão sendo vendidas pelo valor de R$30 reais. / Site dos Guerreiros ultrapassa 270 mil visitas. / Para acompanhar o grupo nas redes sociais clique nos botões disponíveis nesta página. / VOCÊ GOSTOU DO SITE? JÁ PARTICIPOU DE ALGUMA ATIVIDADE NOSSA? TEM ALGUMA SUGESTÃO? COMENTE, MANDE UMA MENSAGEM POR E-MAIL OU PELAS REDES SOCIAIS. DÊ SUA OPINIÃO E NOS CONTE SOBRE A SUA EXPERIÊNCIA COM A DANÇA PERNAMBUCANA. CERTAMENTE ISSO NOS AJUDARÁ BASTANTE A ENRIQUECER TODO O TRABALHO. OBRIGADO!

Blocalhau recebeu os Guerreiros do Passo

O bairro do Recife Antigo encerrou sua programação de carnaval nesta quarta-feira de cinzas com o Blocalhau. O evento começou no salão do Buffet Di Branco na Rua do Apolo, e em seguida tomou as ruas principais do bairro. Os Guerreiros do Passo participaram da festa com alguns dos seus integrantes e a exibição dos passistas teve início no salão e terminou na rua, acompanhado da Orquestra de Carlos. Foliões, carnavalescos, artistas e especialmente, o Maestro Duda assistiram de perto a atuação do grupo, que mais uma vez chamou a atenção de todos.
Os bravos Guerreiros se mantiveram firmes e fortes até os últimos acordes de momo. Agora é descansar e esperar a próxima missão. Evoé!

Um comentário:

  1. Nunca subestime o Rei dos Ritmos Pernambucanos, não estou falando de Jackson do Pandeiro, até porque ele era paraibano.Apesar de gostar muito da sua vasta obra musical. Estou me referindo ao verdadeiro FREVO pernambucano.
    Antes de torna-se cênico, contemporâneo, estilizado, coreografado, etc... Surgiu com a massa levantando poeiras. Com o tempo vem o progresso e o que era poeira passa a ser mormaço devido ao asfalto.Chegando até o palco. Não sei se contribuiu positivamente... Mas está valendo.
    E hoje o que vejo é a carência cultural dos meus próprios irmãos. A tristeza bate em meu peito, porém a satisfação de poder contribuir com o meu grupo, GUERREIROS DO PASSO, é tão grande que nos multiplicamos assim como os foliões faziam em tempos idos.

    ResponderExcluir