News - Praça do Hipódromo volta a receber as aulas do Projeto Frevo na Praça. / Camisas com a marca do grupo estão à venda por R$30 reais. / Site dos Guerreiros ultrapassa 285 mil visitas. / VOCÊ GOSTOU DO SITE? JÁ PARTICIPOU DE ALGUMA ATIVIDADE NOSSA? TEM ALGUMA SUGESTÃO? COMENTE, MANDE SUA MENSAGEM POR E-MAIL OU PELAS REDES SOCIAIS. DÊ SUA OPINIÃO E NOS AJUDE A APRIMORAR NOSSAS AÇÕES COM O FREVO. CERTAMENTE ISSO NOS AJUDARÁ BASTANTE A ENRIQUECER TODO O TRABALHO. OBRIGADO!

28 de dezembro, hoje nascia um Mestre

Quando chegamos nesta época do ano, fazemos reflexões sobre aquele que foi um dos maiores, e podemos até dizer, o principal responsável por tentar colocar a dança do frevo no patamar de respeito que o ritmo merece desfrutar. Não apenas neste dia 28 de dezembro (data de seu aniversário), mas, durante o ano todo exaltamos o Mestre NASCIMENTO DO PASSO e todo o trabalho que ele construiu e estabeleceu na história do frevo. Esse é um dever do grupo Guerreiros do Passo em nome de tudo aquilo que ele nos ensinou e da luta cotidiana que travamos pelos ideais que ele acreditou. Todas as nossas ações sempre terão a marca da sua história e daquilo que aprendemos na fonte dos seus conhecimentos.
Por outro lado, é curioso perceber que muitos dos passistas que hoje em dia atuam na cidade, se não tiveram aula diretamente com o Mestre, de alguma forma, receberam influência dele ou foi aluno dos seus alunos, e nem assim, vislumbramos algum tipo de referência significativa em seu nome, e quando o fazem, colocam-no sempre entre outros artistas do passado, mesmo que nunca tenham tido contato ou aprendido qualquer coisa com esses outros.
São raríssimos os atos de agradecimento e de trabalhos referendados em sua lembrança. Dois que merecem os nossos respeitos são Otávio Bastos e Antonio Nóbrega, pois o passista e o muitiartista nunca deixaram de exaltar a importância e a riqueza cultural do Mestre para as suas vidas profissionais.
Em âmbito governamental, absolutamente nada é feito em sua memória. Neste caso, sabemos que grande parte disso, advém de uma política de desvalorização promovida por um partido político que esteve no poder há alguns anos no Recife. E mesmo que essa patota de imbecis já tenha saído do governo municipal, ficaram resquícios de sua atuação na cultura da cidade. Até um museu que foi criado em homenagem ao ritmo, o nome do mestre e sua história, são coisas praticamente inexistentes lá, quase imperceptíveis! Um verdadeiro crime contra um dos maiores propagadores e divulgadores do frevo pernambucano no Brasil e até no exterior!
Posso afirmar com toda certeza que a hegemonia e o sucesso que o frevo e seus artistas desfrutam atualmente, foi possível graças às ações que Nascimento empreendeu na sua vida e de sua dedicação para tirar a dança do frevo da discriminação e da impopularidade nas décadas de 70 e 80 do século XX. E o que fizeram com sua história?
Na verdade, isso tudo representa uma espécie de punição que alguns hipócritas impuseram a este artista amazonense, que fez mais do que muitos que nasceram aqui, e que além de tentar destruir sua imagem, ao contrário dele, não representam absolutamente nada para o frevo.

Bem, fica aqui o registro desses fatos lamentáveis com o intuito de não esquecê-los em defesa de sua memória, porém, fica também, a alegria de ter aprendido muito e de ter recebido a honrosa oportunidade de conviver por um tempo na terra com ele, contemplando a obra e a vida de uma das maiores e mais importantes expressões da dança, do frevo e da cultura popular brasileira. Salve o Mestre Nascimento do Passo!

Eduardo Araújo

0 COMENTÁRIOS:

Postar um comentário